[Resenha] Mentirosos – E. Lockhart

Bem vindos à Bela Família Sinclair.

 
SINOPSE: Os Sinclair são uma família rica e renomada, que se recusa a admitir que está em decadência e se agarra a todo custo às tradições. 
Assim, todo ano o patriarca, suas três filhas e seus respectivos filhos passam as férias de verão em sua ilha particular. 
Cadence – neta primogênita e principal herdeira -, seus primos Johnny e Mirren e o amigo Gat são inseparáveis desde pequenos, 
e juntos formam um grupo chamado Mentirosos.
 
 
 
Durante o verão de seus quinze anos, as férias idílicas de Cadence são interrompidas quando a garota sofre um estranho acidente.
Ela passa os próximos dois anos em um período conturbado, com amnésia, depressão, fortes dores de cabeça e muitos analgésicos. 
Toda a família a trata com extremo cuidado e se recusa a dar mais detalhes sobre o ocorrido… até que Cadence finalmente volta à ilha 
para juntar as lembranças do que realmente aconteceu.
 
Ficção / Infanto-juvenil
 
 
RESENHA: Mentirosos é confuso, mas engrena no final. Cadence é uma menina de uma família Tradicional democrata e rica. MUITO rica. Todo ano ela passa os verões em Beechwood, ilha de seu avô, o velho Sinclair.
Aliás, no início do livro, Cadence explica o que é ser uma Sinclair:
 
“Na família Sinclair, ninguém é carente, criminoso, viciado ou fracassado. Mas talvez isso seja mentira.”
 
Ela narra os verões a partir de seus oito anos de idade, sempre falando sobre seus primos Mirren e Jhonny e o sobrinho do marido de sua tia, Gat. Cadence (Cady para os íntimos) os chama de “MENTIROSOS”. Ela começa a sentir que Gat é deliciosamente diferente no “verão dos 14”. Uma incrível atração acontece e isso deixa seu avô um tanto desconfortável. Afinal ele é um convidado, não um Sinclair. Uma pena que esse atrito entre os dois não se desenvolve muito. Fica sempre no “ai, será que é agora?”
“Mirren. Ela é açúcar. Ela é curiosidade e chuva.” […] “Johnny. Ele é estalo. Ele é iniciativa e sarcasmo.” […] “Gat, meu Gat, era uma vez meu Gat. Ele é contemplação e entusiasmo. Ambição e café forte”.
 
Para termos uma noção do que é ter uma ilha inteira só para você, a autora dispõe logo no início antes de começar a história, um mapa da ilha, bem como uma resumida  árvore genealógica para que o leitor não se perca entre tantos personagens secundários que ganham um empurrão após o acidente que acontece com Cady no Verão dos 15. SIM, HÁ UM ACIDENTE (PLOT TWIST).
 
 
 
As casas são separadas por famílias. O velho Sinclair deixou uma para cada filha. A principal chama-se Clairmont, que fora reformada no verão dos 16 (quando Cadence não estava lá). Windmere da mãe de Cadence e cobiçada pela mãe de Mirren. Red Gate da mãe de Jhonny  e onde Gat fica hospedado E Cuddletown, da mãe de Mirren.
 
Sobre o acidente do “Verão dos 15” sabe-se bem pouco. Os mentirosos estavam a noite na praia e de repente algo acontece e Cady sangra e aí tudo muda. Ela não sabe  se afogou-se, se bateu com a cabeça, não sabe de nada. Resumidamente, é isso. Cady logo é levada ao hospital e passa por inúmeros exames. A família tenta não falar mais sobre o assunto (ordens médicas) e então temos uma esfriada bem gigante na estória.
 
 
“Odeio a porra da minha mente retalhada, o fato de estar doente o tempo todo, o quanto fiquei debilitada. Odeio ter perdido minha beleza, repetido de ano na escola, deixado de praticar esportes e passado a ser cruel com minha mãe.”
 
 
Cadence começa a ter depressão, dores de cabeça fortíssimas e uma tristeza profunda. Fala sobre sua tia, descobre a morte de sua avó, viaja com seu pai pela Europa durante o “Verão dos 16” e fica sabendo que seu avô teve a casa principal da ilha, a Clairmont, reconstruída. E chegamos ao “verão dos 17”!
 
Cadence deseja saber o que lhe aconteceu durante o acidente e espera ter os detalhes através de seus primos e de seu adorável Gat. Mas ao chegar ao ancoradouro, os mentirosos não estão lá, como sempre, esperando por ela. Ela é recebida por seus primos mais novos. Depois vai conhecer a “nova” Clairmont, rola uma interação com a Família, felizes de tê-la novamente naquele verão com eles e então resolve ir atrás de seus primos. Descobre que eles terão a casa da mãe de Mirren, a Cuddletown, só para eles. Cadence fica proibida de ir lá. Após o acidente, sua mãe se demonstra extremamente preocupada com tudo o que diz respeito a sua filha.
 
 
 
”O silêncio é uma camada protetora sobre a dor.”
 
Ninguém revela muita coisa para ela e nós, leitores, ficamos meio no escuro. Gat é o único que, aparentemente, deseja que ela lembre. Ele parece querer contar algumas vezes, mas se sente impedido. Como se alguém estivesse ameaçando-o. Isso deixa a história novamente emocionante. A angústia da personagem pra tentar entender seu acidente, parece que sempre que ela está quase conseguindo lembrar ou entender algo acontece e ela volta a estaca zero.
 
Mas enfim…temos o PLOT TWIST final e descobrimos a verdade. Mas é ÓBVIO que não contarei aqui. Porque é de deixar seu cabelo em pé. É triste, emocionante e lindo ao mesmo tempo. Portanto lembre-se: Leia sem medo. mesmo que no meio do livro haja uma lentidão, acredite…vale a pena!
 

Mentirosos é um lindo livro que vale a pena ser lido!

SOBRE A AUTORA:

Nasceu em Nova York e fez doutorado em literatura inglesa na

Universidade Columbia. Deu aulas de redação, literatura e escrita ativa. Seus
livros já foram traduzidos para mais de dez idiomas. É autora de Dramarama, The
Boyfriend List e Fly on the wall, e coautora de How to Be Bad, com Lauren
Myracle e Sarah Mlynowski.
E. Lockhart
Título: Mentirosos
Autor: E. Lockhart
Editora: Seguinte
Ano: 2014